Visualizar:

▼ Textos
  • Os riscos do uso de anfetaminas

    03

    Mar
    03/03/2011 às 15h01

    Em fevereiro de 2011 a mídia divulgou que medicamentos para emagrecer como sibutramina e anfetamina podem ter a venda proibida no Brasil em razão de seus efeitos colaterais.

     

    Emagrecer é um processo onde a principal motivação deveria ser um encontro com a saúde. Entretanto, o que se observa, freqüentemente é o desejo por um corpo perfeito. Está armada uma perigosa e desenfreada armadilha. Mais um problema adicional, o uso de anfetaminas, eleito, talvez porque pareça ser o caminho mais curto para controlar o apetite e acelerar os processos metabólicos, sem necessariamente exigir um aprendizado sobre a relação com a comida, ou seja diminui a importância da reeducação alimentar, que verdadeiramente garante uma mudança de vida e de comportamento.  Caminho onde há uma lacuna de consciência nutricional! Além disto, muitas pessoas que tomam anfetaminas nas fórmulas para emagrecer, tem uma sensibilidade maior a seus efeitos colaterais.

     

    Segundo site http://www.mentalhelp.com/anfetamina.htm, os efeitos colaterais mais freqüentes, principalmente com o uso prolongado são:

     

    • Irritabilidade ou "pavio curto", como que fosse uma TPM de mês inteiro.
    • Depressão.
    • Disforia (uma mistura de humor instável, euforia, irritação, agressividade e depressão).
    • Perda de memória.
    • Cefaléia.
    • Confusão mental.
    • Alucinações.
    • Com o tempo passa a sentir cansaço extremo e um estado depressivo constante.

     

    As anfetaminas encontram-se no grupo de drogas estimulantes. A este grupo pertencem tanto drogas ilícitas como lícitas: o crystal (derivado das anfetaminas), a cocaína, o cigarro de tabaco (nicotina) e a noz de cola em pó (cafeína).

     

    Drogas estimulantes do sistema nervoso central ou psicoanalépticos são substâncias capazes de aumentar a atividade cerebral. Geram um aumento da vigília, da atenção, produzindo aceleração do pensamento e alterando o humor para um estado de euforia. Portanto, seus usuários tornam-se mais ativos, sentem-se mais “ligados”. Em fevereiro de 2011 a mídia divulgou que os medicamentos de emagrecer com sibutramina e anfetamina podem ter a venda proibida no Brasil . A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária - www.anvisa.gov.br) já havia restringido o uso da sibutramina no ano passado. Atualmente justifica que os riscos desses medicamentos são muito maiores do que os benefícios. A anfetamina é proibida em vários países. Em alguns países da Europa a substância foi totalmente proibida. No Brasil a substância é comercializada em forma de remédios para tratamento de obesidade e pessoas que sofrem de distúrbios psicológicos, sendo encontrada, portanto em medicamentos controlados que exigem receita médica do paciente, segundo informa o site http://www.copacabanarunners.net/anfetaminas.html

     

     

    As substâncias a serem proibidas são quatro a sibutramina, e três derivados de anfetaminas o femproporex, o mazindol e a anfepramona. Todos agem no sistema nervoso central e ajudam a diminuir o apetite. Segundo site http://pt.wikipedia.org/wiki/Anfetamina os estimulantes, como as anfetaminas, elevam o gasto cardíaco (volume de sangue bombeado pelo coração) e pressão sanguínea, é por esta razão que são perigosos para pacientes com histórico de doença cardíaca o hipertensão. Também há risco para pacientes com histórico de dependência de drogas ou anorexia, devido às suas propriedades de dependência e supressão de apetite quando tratados com anfetaminas. Além disto, as anfetaminas podem causar complicações em pacientes tomando antidepressivos inibidores da monoamina oxidase. Anfetaminas também não são indicadas para pacientes com histórico de glaucoma. Uma vez que anfetaminas podem passar através da amamentação, mulheres que estão tomando medicamentos com anfetaminas são alertadas para não amamentar seu bebê durante o tratamento.

     

    Sua atuação eleva os níveis de serotonina, noradrenalina e dopamina no cérebro. Anfetaminas, sob prescrição médica são aplicadas para tratar desordem de déficit de atenção e desordem de déficit de atenção com hiperatividade em adultos e crianças. Também são usadas para tratar lesão traumática no cérebro, sonolência diurna, narcolepsia e síndrome de fadiga crônica. Inicialmente, as anfetaminas eram populares como inibidores de apetite, usadas para emagrecer, atualmente é este o ponto questionado.

    Efeitos físicos das anfetaminas

    Os efeitos físicos das anfetaminas podem incluir: redução de apetite, sensações aumentadas ou distorcidas, hiperatividade, pupilas dilatadas, rubor, agitação, boca seca, disfunção erétil, dor de cabeça, taquicardia, batimento cardíaco elevado, aumento da pressão sanguínea, febre, suor, diarréia, constipação, visão turva, fala prejudicada, tontura, movimentos incontrolados, tremor, insônia, palpitações e arritmia. Em altas doses, ou uso crônico, pode ocorrer: convulsão, pele seca, acne e palidez. O abuso de anfetaminas também pode aumentar o risco de ataque cardíaco.

    Efeitos colaterais psicológicos das anfetaminas
    Os efeitos psicológicos das anfetaminas incluem: ansiedade, nervosismo, euforia, percepção de energia elevada, comportamento repetitivo, excitabilidade, sensação de poder ou superioridade. Ocasionalmente há psicose por anfetaminas, geralmente com doses altas ou uso crônico.

    Efeitos da interrupção do uso de anfetaminas
    Quando anfetaminas são usadas indevidamente sem supervisão médica, a sua interrupção pode causar efeitos de abstinência, que podem incluir: ansiedade, depressão, agitação, fadiga, sono excessivo, apetite aumentado, psicose e pensamentos suicidas

     

    (disponível em  http://www.copacabanarunners.net/anfetaminas.html )

     

    Para pacientes com quadros de Doença do Humor Bipolar, segundo Diogo Lara, além dos antidepressivos os psicoestimulantes têm sido cada vez mais receitados sem se levar em conta a possibilidade de que o paciente tenha algum grau de bipolaridade. Além da depressão unipolar, estas drogas tem sido exageradamente receitadas para o tratamento de situações tão diversas quanto transtornos de ansiedade (transtorno do pânico, transtorno obsessivo-compulsivo, ansiedade generalizada, fobia social e transtorno de estresse pós-traumático), déficit de atenção e hiperatividade, tensão pré-menstrual, enxaqueca, dor crônica, tabagismo (bupropiona), ejaculação precoce, bulimia, comer compulsivo, impulsividade, agressividade, tiques, entre outros. Esses transtornos ocorrem com freqüência em pessoas com bipolaridade e, por isso, deve haver cautela ao se prescrever antidepressivos, principalmente se forem a única medicação usada. Em quem tiver algum grau de bipolaridade, esses transtornos acima descritos melhoram com estabilizadores de humor. São psicoestimulantes: metilfenidato, anfetaminas, cafeína e cocaína. (Bipolaridade está disponível em http://www.bipolaridade.com.br/tratamento/antidepressivos.asp)

     

    Mas, além das anfetaminas existem as bebidas energéticas, elas possuem cafeína e taurina e portanto, tem um efeito estimulante. Apresentam a capacidade de reduzir o sono. As bebidas energéticas costumam ser vendida em latas de 200ml a 250ml, e tem alto teor de cafeína, que estimula o estado de alerta do corpo. O guaraná (em pó, cápsulas ou líquido) é uma planta rica em cafeína. Os energéticos se forem ingeridos em excesso e indiscriminadamente, podem ter efeitos colaterais sérios, como aumento da freqüência cardíaca, insônia e diurética, alertam os nutricionistas. A cafeína também acelera a perda de cálcio e magnésio pelo organismo, que pode resultar em câimbras. A cafeína em excesso pode resultar na dependência da substância, pois reduz a sensação de dor e cansaço. A substância taurina, presente em alguns energéticos, pode ter efeito perigoso, quando misturada à bebidas alcoólicas. Embora não se tenham estudos que comprovem, existem evidências que mostram que a taurina pode suprimir o efeito depressor do álcool, deixando a pessoa muito mais excitada, mais estimulada. O uso diário de energéticos além de alterar o sono, reduz a absorção de cálcio pelo organismo, o que pode induzir a uma osteoporose. Para saber mais sobre este assunto, existe material sobre os efeitos colaterais das bebida energéticas, disponível na Internet em http://www.mundodastribos.com/como-atuam-as-bebidas-energeticas-efeitos-colaterais-das-bebidas-energeticas.html

    Conforme foi demonstrado o risco do uso de anfemitaminas supera os benefícios. Para emagrecer a antiga combinação da reeducação alimentar, atividade física e consciência de si mesmo ainda é o caminho mais seguro e eficiente.

     

     

    Vídeo que complementa o texto, para refletir:

     

    cafeina ... anfetamina ... outras substâncias, mas o mesmo comportamento!

     

    http://www.youtube.com/watch?v=gTZUiiEzegs

     

     

     

    Digite os números da imagem ao lado:

    Comentar
    • Imagem Usuário

      Pai:

      30/06/2013 às 13h50
      leia

    • Imagem Usuário

      alefe alves

      26/05/2013 às 15h35
      site perfect da um haduken nos outros

Home |  Blog Grátis |  Hospedagem HTML Grátis |  Quem somos |  Parceria |  Anuncie |  Ajuda
Trabalhe no XPG |  Política de Privacidade |  Política de Segurança |  Denúncia © 2004-2014 XPG | Siga esta corrente